segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

É aqui que me liberto de tudo que me prende, é o desejo, cada sensação que passa pelo seu corpo sem pedir licença. Eu te vi você me viu e ontem à noite a chuva caia e meus olhos se ligavam a você de um modo intenso e estranho. Já te conheço e você também, mas tudo é meio novo ou diferente quando estou contigo, penso que as despedidas na hora de dormir não são a mesma, mas quando eu te vejo você me trata do mesmo jeito, será o que acontece? Será que consigo fazer uma autopsia em você?
Eu quero é brincar com você, te fazer rir ate você brigar comigo, eu quero colocar pra fora todos meus sentimentos em relação a você, ate aqueles mais tristes, eu quero, eu lhe quero e vou querer. Me procura dizendo que quer um abraço apertado? Rouba-me um beijo no meio de um papo cabeça? Não ouse em falar a palavra desisto, pois eu não admito desistência. Vamos passar uma tarde lendo um livro juntas? Expõe-me suas ideias mais banais, me morda ate deixar roxões e beberemos e seremos bêbadas juntas. Companheirismo é a palavra certa para essa historia.


sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Relato Romântico 16 de novembro de 2012 ás 10:54

"Cara senhora
Não crés no meu amor? Não podes ter a pretensão de ser tão incrédula. Se não acreditas na minha palavra, consulta meus olhos e consulta os teus. Por meio de teus olhos, veras que eles tem encantos; nos meus, veras que meu coração eh sensível a eles. Recorda o que aconteceu a noite passada: aquilo pelo menos foi um beijo de amor. O fervor, a veemência e o calor daquele beijo deram voz ao deus de quem ele eh filho. Mas, oh! Sua doçura, sua terna suavidade expressavam ainda mais aquele deus. Com os membros trêmulos e a alma febril, me deliciei. Convulsões, suspiros e murmúrios mostraram a imensa desordem dentro de mim, desordem que o beijo só faz aumentar, pois aqueles lábios queridos injetaram em meu coração e em minhas entranhas um veneno delicioso e uma ruína inevitável, mas encantadora.
Quanto não pode acontecer em um dia! Na noite anterior eu me considerava um homem feliz, a quem nada faltava, com a certeza da sorte: louvado pelos homens sábios e aplaudido pelos outros. Satisfeito, ou melhor, encantado com meus amigos, então meus melhores amigos, consciente de todos os prazeres delicados e neles possuindo tudo.
Mas o amor, o amor todo-poderoso, parece ter em um único instante me afastado prodigiosamente de tudo o que não seja a tua pessoa. No meio da multidão, estou só. Só tu consegues dominar minha mente, e esta não se ocupa senão de ti. Pareço ser transportado contigo para algum deserto estrangeiro (ah! Se assim fosse de fato transportado!), onde, em ti abundantemente provido de tudo, poderia viver uma era de êxtase ininterrupto.
O cenário do grande palco do mundo de repente parece ter sido miseravelmente transformado. A não ser por ti, os objetos que me cercam são despreziveis; os encantos do mundo inteiro parecem ter sido traduzidos em ti. Dessa forma, nesse estado deplorável, mas, oh!, tão prazenteiro, minha alma só se concentra em ti; ela vós contempla, admira, adora, ou melhor, confia somente em ti. Se tu e a esperança desertarem minha alma, o desespero e o sofrimento infinito serão os companheiros dela."

Carta de amor de William Congreve para a Sra. Arabella Hunt

segunda-feira, 8 de outubro de 2012


Criança. Você não cresceu, deveria ter esperado ter completado seus 25 para ter uma criança, criança que teve uma criança. Às vezes penso isso, sempre pensei, mas nunca conclui. Hoje vejo que essa poderia ser a conclusão de tudo o que você faz que eu não concorde. Não concordo com seus shows de gritar com uma pessoa por algo que nunca a alertou na vida, você é a mãe, deveria ensinar não exigir, exigir de quem nem sabe direito o que está acontecendo. Ouço todas as bobagens que você diz pra sair por cima e sinto ânsia, ânsia do que você esta mostrando que vem regredindo, eu jurava que você tinha dado um passo enorme e você deu, deu um passo enorme, mas infelizmente não mudou, progrediu, mas parou.
Nunca irei te culpar, mas entenda pelo menos agora o quão difícil é te perdoar. Cresça, cresça e aprenda que a vida não é dormir até meio dia e passar o resto dando ordem para arrumarem toda a bagunça. Lembre que às vezes as pessoas têm de seguir, seguir porque é a gente que faz o nosso caminho, que traça os sonhos, que alcança os objetivos, os seus parecem ser todos alcançáveis, mas de alguns, há de se caminhar anos para se dá um passo.  
Não leve tudo isso ao pé da letra, a maioria é muito drama, muita magoa, lagrimas minhas já não caem ao seu nome, eu te amo, mas não concordo com a maioria das coisas que tu diz. Eu achei que poderia pensar em ficar, eu não posso, eu não devo, eu irei, irei pra respirar, irei pra traçar meu caminho, irei pra errar, mas se eu errar tenha certeza que não me acomodarei, não deixarei. 

sábado, 9 de junho de 2012

Survive


“E o tempo vai passando e as coisas mudando.” Deparei-me com essa frase que me fez pensar, pensar em todas as situações que mudaram conforme o passar do tempo. Pessoas, relacionamentos, meu comportamento. É realmente peculiar a rapidez com que perdemos certas coisas. Minha mãe; incrível como não consigo mais confiar nela, com não consigo acreditar em qualquer coisa boa que venha da sua parte, mais ainda sim sonho, sonho com o dia em que realmente serei totalmente sincera, ao ponto de virar e falar “hei, guarda segredo?” e fielmente acreditar na palavra dela de olhos fechados.  Não te cedo qualquer situação prejudicial, penso e repenso, mas não me permito mais cair em total depressão por sua causa.

Isso poderia ser compreendido como o meu maior problema, mas não o encaro dessa forma, ou melhor, tenho outro jeito de encarar a situação. Tenho sim mágoa, remorso, trauma, tristeza, arrependimento, medo, dor, mas de tudo algo me fez crescer em questões de 5 segundos levando socos naquela cama. Pensamentos atormentados, ideias confusas. Parada cardíaca, de repente todos os momentos já vividos passam em segundos, relembro todos aqueles acertos e principalmente os erros, sinto como se estivesse completamente equivocada. Comparei-me centenas de vezes com as milhares de coisas ruins existentes no mundo, pela primeira vez me senti suja, errada, culpada. Culpada por fazerem passar por tudo aquilo que a sociedade clama ser o incomum, e que meu coração pulsa melhor em ser, em ser apenas aquilo que chamo de: eu. Você já se sentiu sendo caçada? Foi assim, me sentir uma praga em meio à plantação e como solução o extermínio. Fui jogada do precipício por aqueles que essa mesma sociedade diz ser o que sempre estão, os que me entenderão, o porto seguro de qualquer pessoa. Então uma grande dose de adrenalina é aplicada diretamente no coração, fazendo o sangue bombear em alta velocidade, sobe a cabeça, aguda os instintos. Não fazia sentido nenhum me culpar, eu sempre vivi muito bem daquele jeito, até em que parte conseguiria tomar a dor de todos dentro de casa, o problema não estaria comigo, não havia problema em me expressar, em responder aos pedidos de sinceridade.    
    
                 “Aqui está a verdade sobre a verdade: Ela dói. Então, nós mentimos.”
Meredith em Grey's Anatomy

Então essa era a grande verdade da qual entenderia naquela situação, eles querem controle por isso exigem a sinceridade, mas até onde eles aguentariam a verdade? Talvez a todo o momento meus erros não passassem de tentativas de acertos e apesar de erros, seria meu maior acerto. Não era justo nem certo querer culpar a parte de mim que mais tinha orgulho, que mais me fazia feliz. Então naquele momento, então me indicaram ansiolítico, recebi diazepam na veia, todos os músculos relaxados, toda a tensão corporal deixou de existir, me levantei não sentindo absolutamente nada, totalmente em choque, mas com os seguintes fatos:

1º fato: Te amo e te odeio. 2º: Sempre será sim minha mãe, mas não sou sua por isso, na verdade nunca serei. 3º: Cansei, cresci e adeus.

Poderia explicar cada um desses itens acima, mas deixa subentendido. Então decidi que chega, chega de me remoer, chega de pensar, chega de tentar entender. Trago pra perto aqueles que me fazem bem, quem não faz questão não fica e convivo com quem é necessário. Preciso cuidar, respeitar e aproveitar tudo aquilo que lido como um presente, mesquinho é viver como se não estivesse viva, como se tudo fosse pesado de mais para se carregar. É voltar a reviver minha lei de vida, consertar meus medos e inseguranças, ser melhor, ser melhor pra mim e pra quem realmente amo. Acordar e fazer valer cada milésimos de segundos, aproveitar, me entregar, arriscar, lutar pelo que acredito, rir, chorar, assistir um filme, beijar minha namorada, ter orgulho ao falar namorada, escrever, tocar violão, comer, beber, dançar que nem boba uma musica mais boba ainda, tumblr, all star, ouvir musicas tristes, dormir, amar, viver.


sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Cinzeiro

Era sempre no mesmo horário, por volta da meia noite ele sentava na cadeira da varanda, onde podia observar praticamente toda a cidade, não havia muito silencio a não ser aquele que vinha do interior de seu apartamento. A fumaça andava juntamente com a brisa forte e fria que fazia e conforme o tempo passava teus dedos queimavam com o final de mais um cigarro. E em teu subconsciente passavam varias coisas ao mesmo tempo, o do porque se isolava todos os dias, sentado sozinho, poderia muito bem apenas andar, mas mesmo aparentando ser extremamente triste e atormentada sua rotina, se sentia bem ao praticá-la. Às vezes saia, a varanda ficava completamente escura e nenhum sinal daquele ser interessante. Talvez fosse um homem doentio em seu sofrer interno, talvez apenas diferente por querer apenas vagar em pensamentos vazios ou talvez fosse o ser mais estranho que eu gostaria de conhecer, que mal admitia pra mim mesma minha atração e curiosidade... 

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Deixo-te, não de partir, de aceitar, pode vim ta? Chega de mansinho, como quem não quer nada, conversando e só. Brincando e só. Cantando e só. Olhando e só. Você e só.  Precisa de que? Respira fundo, um pouco longe, não quero que meu cheiro te enjoe, mas solta, não se esqueça, mas se esquecer também não tem importância, olhe nos meus olhos e eu te lembrarei, não, calma... Não vai demorar não se incomode com esse olhar aqui, não é você que é boba, é ele por ti.  Venha, me fale, reclame de todas as atitudes irresponsáveis que eu possa fazer, faça meu dia ser o mais triste, mude meu humor pra pior, mas saiba que é por ter desapontado-a, eu peco, mas não se incomode, tenha a certeza que depois com todos esses assuntos você retomará meu estado calmo, aquela covinha, ah, essa é propriedade da minha melhor amiga, acostume-se. Se cale pra eu buscar assunto, falarei das estrelas, de quando eu não achar a lua, dos filmes que irei assistir, da minha vida antes de você, dos meus casos les. Falarei de quanto um beijo teu pode ser macio, do quanto que gosto quando tua mão desliza na minha, do quanto um pedido de desculpas poderia esperar naquela noite, mas foi o mais fofo, nunca cheguei a te falar isso, mas só por ter pedido mostrou todo o respeito que eu precisava saber. Chegue rápido, nessa rede cabe mais um e o lugar está reservado para apenas uma pessoa, então venha logo que eu tenho frio, e juro por Deus que só um beijo teu irá me esquentar. 
Vou-te ver crescer, pegar no colo, mas andas tão homenzinho, me trás tantos sorrisos. Saudade seria das tardes que passava contigo, das varias vezes que dormiste em meu peito com o balançar que fazia pra servir de nino.  Olhar-te nunca fora uma obrigação, te cuido com tanto carinho e prazer, converso e mimo pra não lhe bater e ver teu choro sentido. Às vezes és chato, pra que as pirraças de noite? Por que bagunça se sabe que depois sobra pra ti? É que às vezes esqueço que tu és apenas uma criança, aquela que corre atrás de mim, meche e sai correndo,rindo e rindo. Aquela que levanta de manha, e caladinho entra no meu quarto, olha e olha, pode ser que vá ate lá me acordar, pode ser que saia depois de alguns minutos. Aquela que me vê quieta num canto, de cabeça baixa e é tão gostoso ouvi-lo falar “Di... Di, que que você tem?” . Aquele que fica quieto quando peço, sentado no sofá, que se eu for lá deitar vai me agarrar pela cabeça como se fosse abraçar. Aquela que quando der uma da manha, e eu lhe xingar falando que já é a hora de ir dormir, depois de dez minutos que terei deitado na cama, aparecera com o bico na boa pra falar grosso e manhoso “Quer dedeira Di”. E tu não sabes quanto é gostoso filho, quanto me divirto e me emociono com esse ser pequeno que aos poucos vem crescendo, mas que nunca deixará de ser meu, então é por você que meu coração ainda se prende dentro daquela casa, porque depois dos sermões ainda é contigo que irei cantar pra pegarmos no sono.